Vem da Hungria o vinho mais caro do mundo

594

Da Redação
Foto: Divulgação

Você sabia que o vinho mais caro do mundo vem da Hungria? O Royal Tokaji Essencia 2008, apresentado em um decanter luxuoso de 1,5 litro, custa 35 mil euros, cerca de R$ 162 mil. O vinho é doce naturalmente e tem baixo teor alcoólico. A caixa é laqueada e a garrafa é feita à mão, não havendo nenhuma igual a outra. O alto preço deriva do custo de produção e da escassez.

A produção da vinícola Royal Tokaji, que tem campos na região húngara de Mád, distante cerca de 240 km de Budapeste, também foi limitada, com produção de apenas 20 unidades por safra. Apesar do valor, onze garrafas já foram vendidas em 2019. A data de validade do vinho é do ano 2300, o que garante um bom tempo para vender as nove restantes.

Apresentado pela fabricante como “o vinho mais caro do mundo”, o Essencia 2008 começou a ser produzido no ano que está em seu nome. Já o alto preço tem a ver com as uvas de Mád, que segundo a Royal Tokaji são mais doces porque passam por um processo conhecido como “podridão nobre”, durante o qual se seca as uvas da videira enrugando-as e deixando-as parecendo passas. Somente as melhores uvas aszú são usadas para Essencia, que é feita inteiramente a partir do suco de bagas de aszú (os outros vinhos produzidos na região têm um vinho base adicionado para diluir sua doçura). É necessário cerca de um quilo de uvas aszú “incrivelmente maduras” para produzir apenas uma colher de chá do vinho, enquanto cerca de 20 kg de uvas murchas em bagas de aszú são necessárias para uma garrafa de vinho de 37,5 centilitros, que geralmente contém cerca de 3% de álcool.

Essencia só pode ser produzido em anos com o clima perfeito para o mofo nobre e 2008 foi um ano impressionante. Visitantes podem fazer tours privados à vinícola, que fica a cerca de 2 horas de Budapeste para prová-lo.

Dica:
Royal Tokaji
http://www.royal-tokaji.com/