9ª edição do Festival internacional de filmes Assim Vivemos

387

Da Redação
Foto: Divulgação

Até o dia 24 de novembro, o CCBB Brasília recebe histórias contadas nos curtas, médias e longas-metragens durante a nona edição do Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência. Além da exibição de trinta e oito filmes, serão promovidos quatro debates com temas como inclusão pela arte, família e estímulo, autismo e moradia assistida e duas oficinas. A entrada é gratuita.

“Estamos muito felizes ao anunciar mais uma edição do festival. Selecionamos filmes que formam um painel rico e plural das questões mais atuais das pessoas com deficiência em diferentes culturas. As produções refletem uma nova condição das pessoas com deficiência, que hoje recebem mais atenção da mídia e da sociedade. Mesmo nos filmes vindos de países com estrutura social mais precária, podemos notar que as pessoas com deficiência estão conquistando mais visibilidade e mostrando que batalhar pela inclusão é fundamental para a garantia da cidadania no mundo todo”, comenta Lara Pozzobon, uma das curadoras do festival.

Foram 1064 inscrições de diversos lugares. A seleção de 2019 contará com obras da Alemanha, Bélgica, Bielorrússia, Bósnia e Herzegovina, Brasil, Canadá, Eslováquia, Espanha, Estados Unidos, Índia, Irã, Israel, Itália, Nigéria, Noruega, Nova Zelândia, Portugal, Reino Unido, Rússia e Suécia. Os países com maior número de produções – cinco cada – são Brasil, Itália e Nova Zelândia. Estados Unidos e Reino Unido serão representados com três filmes cada e, da Índia e da Rússia virão dois. Os outros participam com uma obra cada entre os curtas, médias e longas-metragens. Os temas são variados – amor, esporte, arte, entre outros – reunindo histórias e experiências de e sobre a pessoa com deficiência.

O “Assim Vivemos” é o primeiro festival de cinema no Brasil a oferecer acessibilidade para pessoas com deficiência visual (audiodescrição em todas as sessões e catálogos em Braille) e para pessoas com deficiência auditiva (legendas inclusivas nos filmes e interpretação em LIBRAS nos debates). As sedes dos CCBBs são acessíveis para pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida.

Serão oferecidos cinco prêmios do júri e um do público, destinado ao filme escolhido nas três cidades. Os membros do júri são pessoas com deficiência, artistas e profissionais ligados ao tema e, em cada edição, o júri cria novas categorias de prêmios, a fim de destacar as qualidades específicas dos filmes premiados. O troféu foi criado pela artista cega Virginia Vendramini. A direção geral do Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência é de Graciela Pozzobon.

Além da exibição dos filmes, o evento conta ainda com realização de oficinas, todas gratuitas e abertas ao público.. A primeira acontece no dia 17/11 às 17 horas. É a oficina “Senta e Dança” com o coreógrafo e street cadeirante Wesley Messias. O projeto Street Cadeirante surgiu com uma das bailarinas, a cadeirante Carla Maia, que dançava antes de ter uma lesão medular e adquirir uma tetraplegia, aos dezessete anos. Após parceria com o experiente coreógrafo Wesley Messias, nasceu o projeto que é formado por aulas e shows. O grupo já se apresentou com a cantora Iza no evento Na Praia, no Capital Moto Week, Carnaval no Parque e Brasília Capital Fitness, entre outros eventos da capital federal.

Após a apresentação no CCBB, as bailarinas convidam os presentes a vivenciar a experiência libertadora de dançar com prazer, mesmo que sentados. Cadeiras comuns são disponibilizadas e o coreógrafo Wesley, ministra dança inclusiva. Uma interação inusitada, que não tem limite de idade e trabalha a empatia e o respeito às diferenças. O resultado da oficina será registrado em um vídeo, de até 1 minuto, e disponibilizado nas redes sociais do @streetcadeirante. Por um dia pessoas comuns poderão sentir o que significa ser parte do Street Cadeirante.

No dia 20, dia da consciência negra, a atriz, dançarina e ativista nas causas raciais e das pessoas com deficiência Mona Rikumbi, realiza a oficina “Sant`Água”, entre 14 h e 15:30h.  Diagnosticada com neuromielite óptica, aos 30 anos, e andar em uma cadeira de rodas desde 2007, Mona afirma que a doença não foi o bastante para interromper seu amor pela vida e pela arte. “Deficiência foi só mais um detalhe na minha vida. Eu nasci mulher, negra e mãe solteira. Uma série de coisas que não faziam da minha vida muito fácil”, conta a bailarina. Dessa forma, além de atriz, enfermeira e dançarina, em 2017, Mona foi considerada a primeira cadeirante negra a se apresentar no palco do Theatro Municipal de São Paulo, junto com sua colega Leonice Jorge. Atualmente, ela vive com seu filho de 24 anos, no bairro Americanópolis, na periferia de São Paulo. Em seu documentário ela relata as dificuldades que passou na vida.

Sobre a performance/oficina Mona vai utilizar os valores da tradição Afro-bantu, onde a água é reconhecida enquanto divindade traduzindo em si prosperidade, fecundidade, um convite irrecusável para a grande roda da transformação ao toque dos tambores. Mona convidará os participantes da oficina a experimentarem essa grande vivência.

Programação:
Dia 12 de novembro (terça-feira)
13h30- Programa 10
15h30- Programa 1
17h30- Programa 2
19h30- Programa 3

Dia 13 de novembro (quarta-feira)
10h30- Programa 5
15h30- Programa 7
17h30- Programa 6
19h- 1º Detate com Daniel: “ Família e Estímulo “

Dia 14 de novembro (quinta-feira)
10h30- Programa 12
15h30- Programa 11
17h30- Programa 10
19h- 2º Debate: “ Inclusão pela Arte “

Dia 15 de novembro (sexta-feira)
13h30- Programa 4
15h30- Programa 9
17h30- Programa 13
19h30- Programa 8*

Dia 16 de novembro (sábado)
13h30- Programa 15
15h30- Programa 14
17h30- Programa 1
19h30- Programa 2

Dia 17 de novembro (domingo)
13h30- Programa 7
15h30- Programa 5
17h30- Programa 3
19h30- Programa 4

Dia 19 de novembro (terça-feira)
13h30- Programa 1
15h30- Programa 6
17h30- Programa 7
19h30- Programa 8*

Dia 20 de novembro (quarta-feira)
10h30- Programa 11
15h30- Programa 9
17h30- Programa 2
19h- 3º Debate: “Autismo”

Dia 21 de novembro (quinta-feira)
10h30- Programa 10
15h30- Programa 13
17h30- Programa 3
19h- 4º Debate: “Moradia Assistida”

Dia 22 de novembro (sexta-feira)
13h30- Programa 15
15h30- Programa 12
17h30- Programa 14
19h30- Programa 7

Dia 23 de novembro (sábado)
13h30- Programa 9
15h30- Programa 11
17h30- Programa 5
19h30- Programa 8*

Dia 24 de novembro (domingo)
13h30- Programa 2
15h30- Programa 10
17h30- Programa 1
19h30- Programa 6

PROGRAMA 1 (Dias 12,16,19 e 24 de novembro)
Alemanha
Menina de areia – Sandgirl (Alemanha, 2017, 1h 24min) Dir. Mark Michel. LIVRE

PROGRAMA 2 (Dias 12,16,20 e 24 de novembro)
Canadá
Além do Espectro: Um ano de uma família confrontando o autismo – Beyond the Spectrum: A Family’s Year Confronting Autism (Canadá, 2016, 1h 26min.) Dir. Steven Suderman. LIVRE

PROGRAMA 3 (Dias 12,17 e 21 de novembro)
Rússia
Casa da Liberdade – House of Freedom (Rússia, 2019, 1h 21min.) Dir. Maxim Yakubson. LIVRE

PROGRAMA 4 (Dias 15 e 17 de novembro)
Suíça
A Jornada – The Journey (Suíça, 2018, 1h 25min.) Dir. Fanny Bräuning. LIVRE

PROGRAMA 5 (13,17 e 23 de novembro)
Voy – Voy (Rússia, 2019, 1h 20min.) Dir. Maxim Arbugaev. LIVRE

PROGRAMA 6 (Dias 13,17 e 23 de novembro)
Meu nome é Daniel – My name is Daniel (Brasil, 2018, 1h 23min.) Dir. Daniel Gonçalves. LIVRE

PROGRAMA 7 (13,19 e 14 de novembro)
Nova Zelândia
Celeste – Celeste (Nova Zelândia, 2016, 6 min.) Dir. Viv Kernick & Kirsty Griffin. LIVRE
Moyzee (Moyzee) – (Nova Zelândia, 2016, 6 min.) Dir. Viv Kernick & Kirsty Griffin. LIVRE
Estados Unidos
Vidas Inteligentes – Intelligent Lives (USA, 2018, 1h 12min.) Dir. Dan Habib. LIVRE

PROGRAMA 8 (15,19 e 23 de novembro)
Reino Unido
Diálogo entre Richard Hunt e Sonia Boue – Richard Hunt e Sonia Boue in Conversation (Reino Unido, 2018, 5 min.) Dir. Richard Hunt. LIVRE
Bélgica
O Retorno de Sooi Dingemans – The Return of Sooi Dingemans (Bélgica, 2018, 21 min.) Dir. Marc Bryssinck. 14 ANOS
Israel
Rei Shimon – King Shimon (Israel, 2018, 59 min.) Dir. Ariel Mayrose. LIVRE

PROGRAMA 9 (Dias 15,20 e 23 de novembro)
Jonathan – Jonathan (Nova Zelândia, 2016, 6 min.) Dir. Kirsty Griffin & Viv Kernick. LIVRE
Eslováquia
No Mundo – Into the World (Eslováquia, 2017, 20 min.) Dir. Alzbeta Hrusovska. LIVRE
Espanha
Peixes de Água Doce (em Água Salgada) – Freshwater Fish (in Salt Water) (Espanha, 2018, 56 min.) Dir. Marc Serena & Biel Mauri. LIVRE

PROGRAMA 10 (Dias 12,14,21 e 24 de novembro)
A Ponte entre Nós – The Bridge Between Us (Reino Unido, 2018, 11 min.) Dir. Ray Jacobs & Jonathan Tritton. LIVRE
Bielorrúsia
Quem é o Último? – Who is the Last One? (Bielorrússia, 2018, 60 min.) Dir. Siarhei Isakov. LIVRE

PROGRAMA 11 (Dias 14,20 e 23 de novembro)
Mona – Mona (Brasil, 2018, 6 min.) Dir. Lucca Messer. LIVRE
Jessica – Jessica (Nova Zelândia, 2016, 6 min.) Dir. Kirsty Griffin, Viv Kernick. LIVRE
Irã
Dra. Manavi – Azar (Irã, 2019, 9 min.) Dir. Diba Ehteshami. LIVRE
Seguindo em Frente – Walk on (USA, 2018, 10 min.) Dir. Ethan Downing and Vincent DeLuca. LIVRE
Pagar 4 nunca mais – Pay 4 Nevermore (Brasil, 2018, 15 min.) Dir. Leide Jacob. LIVRE
Portugal
A Cabeça e a Mão – The Head and The Hand (Portugal, 2018, 24 min.) Dir. Marc Serpa Francoeur. LIVRE

PROGRAMA 12 (Dias 14 e 22 de novembro)
Simon – Simon (Nova Zelândia, 2016, 6 min.) Dir. Kirsty Griffin and Viv Kernick. LIVRE
Nigéria
Victor – Victor (Nigeria, 2016, 15 min.) Dir. Chibuzo Mobis. LIVRE
Itália
Zulu Rema aprendeu a voar – Zulu Rema has learned to fly (Itália, 2019, 15 min). Dir. Gaia Vianello. LIVRE
O Homem das Árvores – The Man of the Trees (Itália, 2018, 19 min.) Dir. Andrea Trivero. LIVRE
Sonhos Vivos – Living Dreams (India, 2019, 30 min.) Dir. Ritwik Baiju Chandran. LIVRE

PROGRAMA 13 (Dias 15 e 21 de novembro)
Charles Curtis Blackwell – Charles Curtis Blackwell (USA, 2017, 10 min.) Dir. Jeff M. Giordano. LIVRE
Índia
Lágrimas Vermelhas – Red Tears (India, 2019, 20 min). Dir. Tharindu Ramanayaka. LIVRE
Folclore para Todos – Dreaming Folk (Itália, 2018, 20 min.) Dir. Alessandro Stevanon. LIVRE
Fecha os Olhos e Voa – Close Your Eyes and Fly (Itália, 2019, 39 min.) Dir. Julia Pietrangeli. LIVRE

PROGRAMA 14 (Dias 16 e 22 de novembro)
WCMX-Faca na Cadeira – WCMX-Brazilian Team (Brasil, 2019, 10 min.) Dir. Loopcius. LIVRE
Posso – I can (Brasil, 2019, 59 min.) Dir. Adama Ouedraogo. LIVRE

PROGRAMA 15 (Dias 16 e 22 de novembro)
Uma Abordagem Diferente – Laid-Back Approach (Itália, 2018, 15 min.) Dir. Gino Ceriachi. LIVRE
Festa das Diferenças – A Blind Bit of Difference and Tasting Color (Reino Unido, 2019, 17 min.) Dir. Kate Dangerfield e Amy Neilson Smith. LIVRE
Noruega
Parceiro – Buddy (Noruega, 2018, 19 min.) Dir. Espen Bye. LIVRE
Bósnia e Herzegovina
Ver a Verdade nos Olhos – To Watch the Truth in the Eyes (Bósnia e Herzegovina, 2018, 30 min.) Dir. Vesna Marich. LIVRE

Dica:
Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre a Deficiência
De 12 a 24 de novembro
Local: CCBB Brasília
Entrada gratuita, mediante a retirada de ingressos com uma hora de antecedência de cada sessão.
Classificação Indicativa: Livre
Mais informações: 3108-7600