Festival Dulcina traz nove espetáculos cênicos

627
SONY DSC

Foto: Divulgação

Com estreia marcada para o dia 24 de novembro, a 1ª edição do Festival Dulcina vai trazer nove espetáculos cênicos, sendo sete locais e dois de fora de Brasília. Com curadoria de Humberto Pedrancini, a programação do festival, que segue até o dia 3 de dezembro, conta também com atividades formativas e uma exposição de artes visuais no foyer do teatro. A entrada é gratuita.

O objetivo do evento é priorizar a diversidade de linguagens teatrais. “Variam entre espetáculos de rua, de palco, de sombras, tradicionais, com cadeirantes, tem espetáculo sem palavra, tem espetáculo com muita palavra, a diversidade temática foi o que nos norteou. Pra gente fazer essa escolha tive a oportunidade de ler ou ver 38 peças de Brasília e outros estados”, completa Pedrancini.

Entre as atrações de fora de Brasília está o espetáculo Paranoia do icônico Teatro Oficina de São Paulo, que mistura música, teatro e vídeo. Em cena, o ator Marcelo Drummond interpreta os poemas de Roberto Piva (1937-2010). Paranoia tem a estrutura de um show, mas é um poeta que circula pela região central de uma grande metrópole, noturna, que cresce – e se deixa invadir pelo erotismo e pela loucura latente na madrugada.

Também terá o espetáculo Aquilo que meu olhar guardou pra você do grupo pernambucano Magiluth. Para o diretor Luiz Fernando Marques, o espetáculo levanta uma reflexão mais que oportuna sobre a cidade em que vivemos. “só assim poderemos nos enxergar a partir do ponto de vista de um estrangeiro e nos reconhecermos, nos estranharmos, nos surpreendermos para enfim nos revelarmos”, destaca.

Das pratas da casa, quem não poderia deixar de estar na programação é o diretor Fernando Guimarães, professor durante anos da instituição Faculdade Dulcina de Moraes. O diretor traz a estreia do espetáculo Essa Coisa Chamada Amor, que traz ao palco questionamentos sobre as relações amorosas e suas inadequações às realidades cotidianas.

Programação:
24/11 (Sábado)
16h – Abertura da exposição Acervo DeBanda – Galeria Dulcina
20h – Paranoia– Grupo Oficina (SP) – Teatro Dulcina
21h – Bate papo com José Celso Martinez Correa – Teatro Dulcina

25/11 (Domingo)
20h – Essa coisa chamada Amor– Fernando Guimarães (DF) – Teatro Dulcina

26/11 (Segunda)
20h – Quando os elefantes saem para passear– Marcela Hollanda (DF) – Teatro Conchita
21h – Essa coisa chamada Amor – Fernando Guimarães (DF) – Teatro Dulcina

27/11 (Terça)
19h30 – Aula espetáculo – Humberto Pedrancini – Teatro Conchita
21h – Essa coisa chamada Amor – Fernando Guimarães (DF) – Teatro Dulcina

28/11 (Quarta)
15h e 20h – 2 Mundos – Cia Lumiato – (DF) – Teatro Dulcina

29/11 (Quinta)
15h e 20h – O Disquite do Coroné – Brasil Cantante (DF) – Teatro Dulcina

30/11 (Sexta)
20h – Similitudo – Projeto PÉS – Teatro-Dança com Pessoas com Deficiência (DF) – Teatro Dulcina

1/12 (Sábado)
21h – Aquilo que meu olhar guardou pra você – Grupo Magiluth (PE) -Teatro Dulcina

2/12 (Domingo)
20h – Provável Paraíso Perdido – Coletivo Esperanza (DF) – Teatro Dulcina

3/12 (Segunda)
14h às 18h – Workshop Provável Paraíso Perdido – Coletivo Esperanza (DF) Teatro Dulcina
19h – DeBanda – César Lignelli (DF) – Praça Zumbi dos Palmares

Dica:
1ª edição do Festival Dulcina
De 24 de novembro a 3 dezembro
Local: Complexo Cultural Dulcina (CONIC, SDS, Edifício FBT, Bloco C N°. 30/64)
Entrada gratuita.
A distribuição dos ingressos será feita 2 horas antes de cada apresentação, na bilheteria do Teatro Dulcina, limitado a até 2 ingressos por pessoa.
Mais informações: 98180-3321

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here