Gaslight retrata a opressão ao feminino

1831

Foto: Divulgação

Baseado no termo norte-americano gaslighting, o espetáculo brasiliense Gaslight ganhará as luzes da ribalta da capital federal com esta temática que fala de opressão psicológica de um abusador contra a vítima. A peça mescla elementos simbolistas e surrealistas com uma interpretação realista/naturalista.

Gaslight estreia no dia 27 de julho, sexta-feira, no Teatro Invenção Brasileira de Taguatinga (Mercado Sul Loja 5 Taguatinga Sul), e fica em cartaz nos dias 28 e 29 do mês (sábado e domingo), com sessões sempre às 20h.

Logo após, segue para o Teatro Goldoni de Brasília – Casa D’ Itália (208/209 Sul), onde será reapresentada nos dias 3, 4 e 5 de agosto, às 20h. A temporada se encerra nos dias 17, 18 e 19 de agosto, com sessões também às 20h, no Teatro Céu das Artes Ceilândia (QNM 28). A entrada é gratuita.

Em cena, cinco atores esperam para celebrar as bodas de 200 anos de um casamento. Entre diálogos cotidianos embutidos de discursos psicológicos que refletem em uma afronta ao feminino e espaços de tempo vazios, os personagens se conectam, desconectam e traçam uma linha de relacionamento para consigo e com o próximo.

A prática de gaslighting é evidenciada na opressão ao feminino, o que não necessariamente diz respeito à mulher. “Falamos de gaslighting como uma prática contra o arquétipo do feminino que habita tanto pessoas do gênero feminino, quanto do gênero masculino. No entanto, estas práticas acabam reverberando em uma potência maior em mulheres pois elas têm o estereótipo do feminino no corpo”, explica a dramaturga que construiu o texto em um processo colaborativo junto ao grupo.

​Dica:
Gaslight
Dias 27, 28 e 29 de julho​. S​exta, sábado e domingo, às 20h
​Local: ​Teatro Invenção Brasileira de Taguatinga (Mercado Sul Loja 5 Taguatinga Sul)
Entrada franca
​Classificação Indicativa: 16 anos
​Mais informações: 3443- 0606

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here